Prevenção de lesões nas categorias de base

Dentro da formação do jovem atleta, temos muita ênfase em diversos aspectos do treinamento, valências físicas, técnicas e táticas, além de conceitos educacionais, psicológicos e cognitivos. Dentro disso tudo, por muitas vezes deixamos escapar a saúde daquela criança, daquele jovem que está almejando uma carreira esportiva. E os clubes podem ajudar e muito nesse aspecto, seja para ter o retorno desportivo ou para uma vida saudável desse jovem. O Instituto Pensando Esporte (IPE) traz um grande artigo falando sobre a prevenção de lesões nas categorias de base, aproveite !!

 

A busca para um estilo de vida saudável, cada vez mais, faz com que crianças procurem a promoção no esporte e na atividade física. No entanto, o esporte associado a competitividade, nossos jovens atletas ficam mais expostos a lesões. Essas lesões podem fazer com que esses jovens atletas sofram alterações impactantes no decorrer deste processo. A sua redução no envolvimento momentâneo ou futuro, evolve recursos financeiros, médicos, humanos em muitos níveis referindo-se como um todo o individuo e a sociedade. Assim, a prevenção de lesões é de particular importância na vida do jovem atleta.

Como entender essa particular importância?  Teríamos uma definição para PREVENÇÃO DE LESÃO no esporte? Sim, temos uma definição, muito simples e objetiva: prevenir lesões no esporte é evitar ou minimizar disfunções que afetam o atleta no decorrer da sua atividade esportiva. Gosto de citar uma analogia bem objetiva: “Todos nós corremos risco em ser atropelados por um carro ao atravessar a rua, porém, podemos minimizar esse risco se atravessarmos na faixa de pedestres, olhar para os dois sentidos, respeitar o sinal aberto para o pedestre etc.”

O passo mais importante para iniciarmos o processo de prevenção de lesões no futebol é conhecer as incidências e etiologias das lesões na modalidade. Já encontramos o primeiro desafio, já que são poucas as pesquisas referentes as categorias de base, principalmente nas categorias mais baixas (9 a 13 anos). Podemos minimizar esta dificuldade realizando, mesmo que de forma empírica, o perfil de lesões do seu clube, respectivamente dos seus atletas anualmente, tentando encontrar as principais causas para esse perfil encontrado.

Outro desafio muito importante é o profissional responsável convencer a diretoria do clube a investir neste projeto. A lesão prévia é o maior fator de risco para lesões no futebol e dentro das categorias da base essa atenção à saúde vem de cima para baixo. As categorias mais altas (sub 20) recebem maiores atenções, maiores investimentos por estarem mais próximas ao produto final, que é a formação do atleta. Chega a ser contraditório, investir em saúde do atleta, quando o maior fator de risco já está instalado (lesão prévia) e quase que negligenciar as categorias mais baixas, onde em sua grande maioria, a lesão prévia não está presente. Isso sem falar em absolutamente todos os aspectos diretamente relacionados a prevenção de lesão, como: aspecto nutricional, psicológico, social etc.

Diante da pobreza e dificuldades de publicações neste perfil de atleta especifico, a FIFA (International Federation Football Association), após inúmeras pesquisas sobre incidência e etiologia das lesões no futebol e desenvolver um programa de prevenção de lesões chamado FIFA 11+, por meio do F-MARC (Centro de Pesquisa e Avaliação Médica da FIFA) e liderado pelo Dr. Mario Bizzini, achou necessária a investigação sobre o perfil de lesões nas categorias mais baixas (9 a 13 anos). Para a surpresa de todos, o perfil encontrado foi diferente dos atletas jovens adultos.

A partir de 2016, as pesquisas referentes aos jovens atletas (9 a 13 anos) começaram a apresentar sua evolução, pesquisas bem objetivas principalmente na Europa (precisamente na Suíça e na Republica Tcheca) mostraram que nesta faixa etária as incidências de lesões são mais baixas, porém, o perfil é diferente. Foram encontradas, fortes evidências, que a extremidade superior teve a sua particularidade neste perfil de atletas. A região do punho/mão, tiveram quase que uma igualdade com as regiões da coxa e joelho.

Com esses dados bem objetivos, o F-MARC (Centro de Pesquisa e Avaliação Médica da FIFA), resolveu desenvolver um protocolo de prevenção de lesões específicos para este grupo. Após o sucesso do FIFA 11+, com um respaldo científico rico, foi desenvolvido o FIFA 11+ KIDS, voltado exclusivamente para atletas de 9 a 13 anos. Além dos exercícios, voltados para equilíbrio, controle motor e estabilização, foram implementados exercícios para o “controle de queda”. Muitos atletas realizam a queda de “forma errada”, por isso, a necessidade dos exercícios de rolamento, que promovem uma queda mais segura.

Claro que o FIFA 11+ KIDS é apenas o inicio de um processo, que de forma gradual, está sendo implementado dentro deste perfil de atletas. Lembrando, que o fator prevenção de lesões está diretamente relacionado com todos os departamentos do clube e precisamos deste incentivo ( que hoje é quase nulo) tanto de toda a equipe interdisciplinar, comissão técnica e diretoria. O programa FIFA 11+ KIDS pode ser executado de forma rápida, como “aquecimento” ou pré-treino em no máximo 20 minutos.

E aí? Vamos começar o nos preocuparmos com a saúde de nossos atletas desde cedo?

 

Autor:

Rodrigo Veiga
Fisioterapeuta das categorias de base do futebol do Botafogo F.R.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: